Ex-ditador da Guatemala é condenado

Em uma histórica decisão na Guatemala, a Justiça condenou ontem a 80 anos de prisão por genocídio e crimes de guerra o ex-ditador José Efraín Ríos Montt. Ele respondia pelos crimes que o Exército guatemalteco cometeu entre 1982 e 1983 contra os ixil, um grupo indígena maia.

GUATEMALA, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2013 | 02h02

Ríos Montt, de 86 anos, tornou-se assim o primeiro ex-ditador da América Latina a ser condenado por genocídio. Ele governou a Guatemala entre março de 1982 e agosto de 1983, no auge da guerra civil que devastou o país. Em 36 anos, o conflito interno consumiu mais de 200 mil vidas.

O tribunal concluiu que o ex-ditador teve conhecimento dos massacres com objetivo de exterminar os ixils - ele nega a acusação. A juíza que leu o veredicto, Jazmín Barrios, determinou que o réu não voltaria à prisão domiciliar e deveria seguir diretamente do tribunal para um centro penitenciário. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.