Ex-ditador fala em doar US$ 5 milhões para Haiti

O ex-ditador haitiano Jean-Claude Duvalier, conhecido como Baby Doc, prometeu fazer uma doação para a reconstrução do seu país. Baby Doc, que diz viver de forma discreta em Paris, disse a um site americano que estaria disposto a enviar US$ 5 milhões ao Haiti.

AE, Agencia Estado

04 de fevereiro de 2010 | 08h34

Com 59 anos e acusado de crimes que vão de corrupção e enriquecimento ilícito a graves violações dos direitos humanos, Duvalier se exilou em 1986 na França. Segundo advogados que seguem seu caso em um tribunal na Suíça, o ex-ditador pretende usar o dinheiro bloqueado em bancos em Genebra para a doação. Esses recursos, porém, poderiam ser repassados ao Haiti de qualquer maneira, dependendo do resultado do processo.

O dinheiro está nos cofres de bancos suíços há décadas. Em janeiro, uma decisão do Tribunal Federal Suíço (TFS) colocou o governo do país em uma posição delicada. Segundo a decisão, o dinheiro de Duvalier deveria ser devolvido para sua família porque as acusações contra ele se refeririam a crimes prescritos.

Ontem, o governo suíço se apressou em anunciar que manterá os recursos bloqueados e tentará reformar a lei para permitir o retorno do dinheiro a Porto Príncipe. "Seguindo sua política de tentar evitar que a Suíça sirva de refúgio a recursos ilegais, decidimos bloquear de novo os fundos", afirmou o governo em comunicado.

Se nem a família Duvalier nem o governo tiverem acesso ao dinheiro, lucram os bancos suíços, que podem captar juros com a fortuna. No ano passado, um juiz suíço havia dado sinal verde para que cerca de US$ 5,7 milhões das contas de Duvalier no banco UBS fossem devolvidos ao Haiti. A meta era que os recursos fossem empregados em programas sociais.

O dinheiro era apenas uma fração do que Duvalier teria enviado às contas em Genebra nos anos 70 e 80 - cerca de US$ 100 milhões, segundo algumas estimativas.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.