Ex-editor foi pago por tabloide depois de deixar emprego

Andy Coulson, ex-editor do tabloide News of the World recebeu pagamentos e benefícios do jornal enquanto trabalhava como auxiliar do líder conservador David Cameron, informou a BBC nesta terça-feira. Coulson saiu da publicação, já extinta, no início de 2007, depois que um repórter e um investigador particular foram presos por invadir as mensagens de voz de telefones de funcionários da realeza.

AE, Agência Estado

23 de agosto de 2011 | 11h44

Seis meses mais tarde, ele foi contratado como chefe de comunicação por Cameron, na época, líder da oposição. Cameron se tornou primeiro-ministro em maio de 2010.

Sem citar fontes, a BBC informou que Coulson continuou a receber indenização no valor de várias centenas de milhares de dólares do jornal até o final de 2007, além de manter seu plano de saúde e o carro da empresa.

Coulson negou saber sobre os grampos telefônicos, mas deixou seu cargo em Downing St. (residência do primeiro-ministro britânico) em janeiro, depois que a polícia reabriu o inquérito sobre delitos cometidos no tabloide.

No mês passado, ele foi detido e interrogado por detetives que investigam as acusações de que o jornal, de propriedade de Rupert Murdoch, fez escutas ilegais de mensagens de voz de celebridades, políticos e até mesmo vítimas de assassinato.

As novas acusações parecem contradizer as provas que Coulson forneceu ao Parlamento em julho de 2009, quando afirmou não ter outra fonte de renda após ser contratado por Cameron. O Partido Conservador disse que "graduados integrantes do partido não tem conhecimento sobre os arranjos de indenização de Andy Coulson", mas o partido de oposição, o Trabalhista, disse que Cameron tem "sérias questões a responder".

O parlamentar trabalhista Tom Watson disse à BBC que vai pedir que a Comissão Eleitoral investigue se os pagamentos constituíram uma doação política velada, o que violaria as leis eleitorais.

A News International, a divisão britânica de publicações da News Corp., pertencente ao bilionário Rupert Murdoch, informou que não comenta arranjos financeiros individuais. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.