Ex-editora de império de Murdoch é indiciada

Rebekah Brooks é acusada de obstrução da Justiça em escândalo de escutas telefônicas ilegais na Grã-Bretanha

LONDRES, O Estado de S.Paulo

16 Maio 2012 | 03h05

Rebekah Brooks, ex-diretora do império jornalístico de Rupert Murdoch na Grã-Bretanha e amiga do primeiro-ministro David Cameron, foi acusada formalmente ontem, ao lado do marido e quatro outras pessoas, de obstruir o curso da Justiça no escândalo de invasão de privacidade que chegou às profundezas da vida pública britânica.

Foi a primeira vez que acusações foram feitas desde que a polícia reabriu os inquéritos do escândalo, 16 meses atrás.

As acusações são um importante divisor de águas numa investigação criminal que resultou na detenção de aproximadamente 50 pessoas pela Scotland Yard, que está analisando a instalação ilegal de escutas telefônicas; o pagamento de subornos a funcionários públicos; e outras acusações de práticas indevidas por parte de dois tabloides de Murdoch.

Parece garantido que tais investigações deverão produzir o próprio conjunto de acusações formais nos próximos meses, podendo resultar num novo indiciamento de Rebekah, que já foi detida duas vezes pelos investigadores da Scotland Yard.

Especialistas em direito disseram que as acusações feitas ontem quase certamente levariam a um julgamento de grande destaque, num prazo de aproximadamente nove meses, diante dos juízes da Alta Corte no Old Bailey, o mais famoso tribunal criminal britânico. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.