Ex-general será julgado por complô contra Evo

O ex-general Gary Prado Salmón, que em 1967 capturou Ernesto Che Guevara, aceitou se submeter a um julgamento que envolve outras 39 pessoas em um complô para assassinar o presidente Evo Morales, em 2009. Salmón teria colaborado com o boliviano de origem croata Eduardo Rózsa, líder do grupo que supostamente mataria o presidente e apoiaria a independência do Departamento de Santa Cruz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.