Ex-goleiro é suspeito de mortes na ditadura

Com 72 anos, o ex-goleiro Edgardo Andrada, que tomou o milésimo gol de Pelé, em 1969, foi acusado de violação dos direitos humanos durante a ditadura argentina e pode ser condenado à prisão perpétua caso seja considerado culpado. O ex-atleta estaria envolvido nos sequestros e mortes dos peronistas Osvaldo Cambiasso e Eduardo Pereyra Rossi, em 1983. Na época, o ex-jogador era integrante civil do setor de inteligência do Exército da Argentina. Reynaldo Bignone, último presidente do regime militar argentino, também estaria envolvido no caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.