AP Photo/Burhan Ozbilici
AP Photo/Burhan Ozbilici

Ex-governador de Istambul é detido por suspeita de envolvimento em golpe

Huseyin Avni Mutlu estava em sua casa e é acusado de apoiar o clérigo Fethullah Gulen, a quem o governo acusa de ser mentor do plano; dois comandantes militares que estavam no Afeganistão também foram presos

O Estado de S. Paulo

26 de julho de 2016 | 13h32

ISTAMBUL - O ex-governador de Istambul Huseyin Avni Mutlu foi detido nesta terça-feira, 26, "como parte de uma investigação" da fracassada tentativa de golpe do dia 15 de julho na Turquia, informou o jornal "Hurriyet".

Mutlu já estava entre as 246 autoridades locais que foram suspensas de seus cargos como consequência da "limpeza" que realiza o governo turco contra dezenas de milhares de suspeitos de ligação com o clérigo Fethullah Gulen, autoexilado nos EUA, a quem Ancara acusa de ter orquestrado o golpe. De acordo com o jornal, a polícia turca encontrou Mutlu em sua residência. 

Depois da prisão do ex-governador um líder da oposição alertou para uma possível caça às bruxas executada pelo governo contra os que se opuserem a Erdogan, o que mancharia a democracia no país. 

"Aqueles que são inocentes não devem ser lançados ao fogo junto com aqueles que são culpados", disse Kemal Kilicdaroglu, líder do Partido Republicano do Povo, o principal grupo oposicionista secular. Kilicdaroglu afirmou ainda que os Estados Unidos deveriam extraditar Gulen

Exterior. O expurgo promovido pelo governo no Exército, no poder Judiciário e em outras instituições do país chegou nesta terça-feira também a funcionário públicos atuando fora do país. Comandantes militares turcos que serviam à Otan no Afeganistão foram detidos em Dubai.

Os dois generais estavam a caminho da Turquia, onde deveriam ser interrogados, assim como uma conhecida jornalista, detida de madrugada em um posto de controle em uma estrada a oeste do país, que deverá comparecer em Istambul para saber se sua detenção será confirmada.

O general Mehmet Cahit Bakir, comandante das forças turcas no Afeganistão - 500 homens - e o general de brigada Sener Topuc foram detidos no aeroporto de Dubai. Estas detenções são fruto da colaboração entre os serviços de inteligência turcos e os Emirados Árabes Unidos, informou a agência pró-governamental Anatólia.

"Estavam sendo transferidos à Turquia nesta manhã", acrescentou a Anatolia a respeito dos dois generais que ocupavam postos elevados, segundo o site da Otan, na missão "Apoio Decidido", dedicada a treinar e aconselhar as forças de segurança afegãs.

Figura de primeira ordem do mundo dos meios de comunicação na Turquia, Nazli Ilicak foi detida nesta terça-feira. Ilicack forma parte dos 42 jornalistas com ordens de detenção emitidas na segunda-feira. De acordo com a Anatolia oito deles já foram presos, incluindo Ilicak e o ex-escritor do jornal gulenista Zaman Hanim Büsra Erdal.

Outras figuras conhecidas dos meios de comunicação também estão na mira, como o comentarista Bulent Mumay e o redator-chefe da Fox TV na Turquia Ercan Gun. "É triste e inaceitável", declarou Turgay Olcayto, presidente da Associação de jornalistas turcos. / AFP e EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.