Matt Sullivan/AFP
Matt Sullivan/AFP

Ex-governador do Arkansas lança pré-candidatura à presidência dos EUA

Republicano Mike Huckabee foi pré-candidato e vencue a disputa primária do partido em Iowa em 2008

O Estado de S. Paulo

05 de maio de 2015 | 14h38

HOPE, EUA - O ex-governador do Arkansas Mike Huckabee anunciou nesta terça-feira, 5, sua intenção de buscar a indicação do Partido Republicano à presidência. Falando em sua cidade natal, Hope, no Arkansas, Huckabee enfatizou suas raízes humildes e criticou o presidente Barack Obama.

Em 2008, Huckabee conseguiu vencer a primeira disputa primária da corrida pela indicação republicana, em Iowa. Em seu discurso de hoje, ele se comprometeu a dar aos veteranos "a dignidade que eles merecem", além de afirmar que a liderança dos EUA no mundo "evaporou completamente", culpando Washington por ser "mais disfuncional que nunca" e olhar demais para os ricos.

O anúncio foi feito pouco após dois candidatos azarões - o neurocirurgião aposentado Ben Carson e a ex-CEO da Hewlett-Packard (HP) Carly Fiorina - entrarem formalmente na disputa, que pode ser uma das com mais nomes em décadas. Os senadores Marco Rubio (Flórida), Ted Cruz (Texas) e Rand Paul (Kentucky) também entraram na disputa no partido oposicionista.

A decisão de Huckabee de disputar deve intensificar a disputa pelo apoio dos cristãos evangélicos, que dizem que as questões sociais, incluindo a oposição ao aborto e ao casamento gay, são mais importantes que as preocupações econômicas e a política externa.

Em seu discurso, Huckabee criticou os demais republicanos, dizendo que os que estão em cargos deveriam ter "a integridade e a decência de renunciar ao que você não quer mais", enquanto tentam a presidência.

Huckabee buscou retratar-se como um outsider, que nunca conseguiu os favores do "corredor de poder Washington-Wall Street". Ele acrescentou que sua campanha deve ser mais financiada pelos "trabalhadores por toda a América" que pelos bilionários.

O pré-candidato, de 59 anos, pode entrar em rota de colisão com outros atuais e potenciais pré-candidatos que apelam aos conservadores cristãos, entre eles Cruz, o governador de Louisiana, Bobby Jindal, e o ex-senador Rick Santorum (Pensilvânia). O governador de Wisconsin, Scott Walker, filho de um pastor, também deve competir pelo voto evangélico. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.