Ex-governador do Texas Rick Perry confirma sua pré-candidatura à Casa Branca

O ex-governador do Texas Rick Perry declarou nesta quinta-feira que tentará concorrer novamente à Casa Branca no ano que vem. O republicano liderou o estado norte-americano durante um período de acelerada expansão econômica, no entanto, realizou uma equivocada pré-campanha presidencial em 2012.

AE, Estadão Conteúdo

04 de junho de 2015 | 10h24

O anuncio foi feito pelo site oficial de Perry, o rickperry.org, que se antecipou ao discurso do pré-candidato agendado para esta quinta-feira. A página na internet traz uma mensagem de Perry que diz: "Eu irei concorrer à presidência, porque sei que os melhores dias do nosso país estão ainda por vir".

Perry ganhou o apoio dos republicanos conservadores durante um recorde de 14 anos como governador, com medidas como restrições ao aborto e redução de impostos. Como candidato à presidência, ele deverá enfatizar a criação recorde de empregos durante seu mandato como governador e os esforços no envio de tropas da Guarda Nacional Texana para proteger a fronteira do país com o México.

No entanto, ele terá um grande desafio de destacar-se em meio a um campo lotado de candidatos republicanos em 2016. Perry também deve superar a impressão que ele deixou aos eleitores durante a campanha anterior para presidente, quando sofreu um lapso de memória durante um debate em que ele se esqueceu de uma das três agências federais que tinha propostas para eliminar. Perry, 65, minimizou seus ventos contrários que incluem também uma acusação penal relacionada a um de seus vetos como governador.

Ele disse que não se preparou suficientemente para sua primeira corrida presidencial e tentou reabilitar sua imagem discutindo abertamente as conversas que teve com especialistas sobre política externa, economia, saúde pública e meio ambiente, em preparação para sua nova campanha. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAEleiçõesPerry

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.