Ex-governador é nova estrela democrata

Mark Warner, que concorre ao Senado por Virginia, fez discurso de destaque

Patrícia Campos Mello, DENVER, EUA, O Estadao de S.Paulo

27 de agosto de 2008 | 00h00

Mark Warner, ex-governador da Virginia, fez ontem o discurso de destaque da segunda noite da convenção, reservado aos nomes mais promissores do Partido Democrata. Há quatro anos, quem ocupou esse espaço foi o então desconhecido Barack Obama - foi o discurso que o elevou à fama nacional. A escolha de Warner não foi por acaso. Ex-governador e candidato favorito ao Senado por Virginia, Warner construiu sua reputação com a habilidade de atrair os votos de eleitores conservadores. Ele teve uma vitória respeitável no Estado republicano da Virgínia. Empresário bem-sucedido - fundou uma companhia que vale US$ 200 milhões -, Warner teve um governo elogiado na Virginia, com destaque para a condução de política econômica no Estado. "Como governador de Virginia, Warner usou sua experiência em negócios para criar empregos para a população do Estado. Seu trabalho de criação de empregos no sul e sudoeste da Virginia é um modelo para o restante do país", informou a campanha democrata.Warner é uma estrela em ascensão no partido. Sua escolha reforça a importância que a campanha de Obama está depositando na Virginia, um Estado tradicionalmente republicano, mas que os democratas esperam conquistar nesta eleição. Warner ganhou a eleição no Estado com seu apelo junto a eleitores mais conservadores. Ele pensou em candidatar-se à presidência, mas resolveu concorrer à vaga do senador John Warner (sem parentesco) que está deixando o Congresso. MUDANÇASO tema da noite foi "Renovando a Promessa da América" - as propostas do Partido Democrata para tirar os Estados Unidos da crise econômica em que estão mergulhados desde agosto de 2007 e as mudanças que pretendem fazer nos programas do presidente George W Bush. John Sweeney, presidente da AFL-CIO, o mais importante sindicato do país, também participaria da segunda noite da convenção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.