Ex-governador saiu com travestis sob efeito de droga

O ex-governador da região do Lácio, na Itália central, Piero Marrazzo, deu um depoimento a juízes italianos no qual admitiu ter consumido cocaína quando tinha encontros com travestis. O depoimento foi feito no dia 2 e veio a público hoje.

AE, Agencia Estado

04 Novembro 2009 | 18h04

Marrazzo relembrou o episódio, quando segundo ele dois policiais militares invadiram o apartamento do transexual brasileiro Natália em Roma, no dia 3 de julho. As informações são da agência Ansa.

O escândalo levou à demissão de Marrazzo e à prisão dos quatro policiais, acusados de extorsão. Advogados de defesa dos quatro policiais pediram a liberdade deles e foi nesse contexto que Marrazzo deu o depoimento. Nenhuma acusação criminal foi feita contra o ex-governador, que inocentou os travestis brasileiros de terem fornecido a cocaína.

A versão do ex-governador, segundo o jornal milanês "Corriere Della Sera", contraria os depoimentos dos "carabinieri", os quais afirmaram que além de Marrazzo e Natalie também estava no apartamento o gigolô italiano Gianguarino Cafasso, assassinado sob circunstâncias misteriosas em setembro.

"Aconteceu que consumia cocaína, esporadicamente, apenas quando tive esse tipo de encontros", se lê no texto do depoimento de Marrazzo. "Conheço Natália já há algum tempo e estive com ela em outras ocasiões, mas não mais de duas vezes desde janeiro deste ano".

Marrazzo disse que teve encontros com outro transexual brasileiro, Brenda, e afirmou que o preço do programa com Natália "não era de ? 5 mil, mas de ? 1 mil". Ele disse que tinha ? 3 mil na carteira e que os "carabinieri" levaram os outros ? 2 mil.

Mais conteúdo sobre:
Itália governador travestis brasileiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.