Ex-inspetor de armas da Onu diz que guerra do Iraque 'foi ilegal'

Hans Blix diz não ter encontrado evidências de armas de destruição em massa no país.

BBC Brasil, BBC

27 de julho de 2010 | 22h42

O ex-chefe dos inspetores de armas da ONU (Organização das Nações Unidas) Hans Blix disse nesta terça-feira acreditar que a invasão do Iraque em 2003 foi ilegal.

"Tenho uma opinião sólida de que a Guerra do Iraque foi illegal. Existem casos em que, mesmo com uma margem de dúvida, pode ser possível fazer guerra", disse ele

"Mas na minha opinião, o conflito no Iraque não foi um destes casos."

As declarações foram feitas durante depoimento ao inquérito Chilcot, que investiga as decisões tomadas antes e depois do início das operações militares britânicas no Iraque.

Sinceridade

Blix diz que entre o final de 2002 e março de 2003, pouco antes da invasão liderada pelos EUA, sua equipe realizou cerca de 700 inspeções em 500 locais e não encontrou evidências sólidas de armas de destruição em massa.

"Está claro que uma segunda resolução era necessária", diz ele referindo-se a aprovação do conflito pelo Conselho de Segurança da ONU.

Blix diz acreditar que o governo americano de George W. Bush estava determinado a adotar uma solução militar para resolver crises internacionais.

"Eles acreditavam que conseguiriam fazer isso e, portanto, era desejável faze-lo", disse ele.

Ele diz pensar que, na época, tanto o premiê britânico Tony Blair e o presidente americano George W. Bush acreditavam que o Iraque representava uma ameaça.

"Acredito que ele (Blair) era absolutamente sincero nas suas crenças. O que questiono foram seus julgamentos", disse ele.

As conclusões do inquérito devem ser divulgadas até o final do ano.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.