Ex-líder do tráfico colombiano condenado a 30 anos

Fabio Ochoa, o outrora temido chefe do cartel de Medellín, foi sentenciado a mais de 30 anos de prisão nos Estados Unidos, por regressar ao narcotráfico depois de ter sido anistiado em seu país. Ochoa, que na década de 1980 ajudou a transformar o comércio de drogas em um negócio bilionário e bem organizado, foi enviado à prisão por participar de uma rede de narcotraficantes que contrabandeava cerca de 30 toneladas de cocaína por mês, entre 1997 e 1999.As acusações eram suficientes para que Ochoa recebesse a pena máxima de prisão perpétua, mas os promotores recomendaram 30 anos, embora os advogados de defesa insistissem que uma sentença de mais de 12 anos violaria as condições de sua extradição, efetuada em 1999. A sentença definitiva foi de 30 anos e cinco meses."Isto mostra a má intenção do governo americano", denunciou o advogado Roy Black. "O governo americano, apesar de sua arrogância ao negar-se a respeitar acordos internacionais, deve cumprir as promessas que fez ao governo da Colômbia". A defesa alega que, apesar de Ochoa ter mantido laços de amizade com membros de uma rede de narcotraficantes integrada por fornecedores colombianos e distribuidores mexicanos, ele realmente abandonou o contrabando em 1990.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.