Ex-líder haitiano teve governo marcado pela violência

PERFIL - Jean-Bertrand Aristide, EX-PRESIDENTE DO HAITI

, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2011 | 00h00

Figura polarizadora no Haiti, o ex-presidente Jean-Bertrand Aristide teve um governo marcado pelo terror de gangues criminosas, as temidas "chimères" (quimeras).

Aristide é um ex-sacerdote salesiano que encarnou em sucessivas eleições o que parecia a única opção democrática às contínuas crises deste país caribenho, que se tornou independente da França há 200 anos.

Primeiro presidente eleito do Haiti, em 1994, Aristide voltou ao poder para um segundo mandato em 2001, mas foi derrubado três anos depois após uma rebelião popular. Retirado do país por pressão dos governos dos EUA e da França, Aristide vivia desde 2004 no exílio na África do Sul.

O ex-presidente haitiano diz ter sido destituído e forçado a abandonar seu país num avião americano pelo governo de Washington, com a cumplicidade de Paris.

Em 2005, o governo do Haiti abriu um processo contra Aristide num tribunal de Miami sob acusação de roubo de US$ 16 milhões do Tesouro Nacional e da companhia telefônica estatal Teleco.

O ex-presidente foi acusado também de envolvimento com o narcotráfico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.