Ex-líder maoísta é eleito primeiro-ministro do Nepal

Assembléia Constituinte elege Pushpa Kamal Dahal com 464 votos a favor e 133 contra

Efe,

15 de agosto de 2008 | 15h10

A Assembléia Constituinte do Nepal elegeu nesta sexta-feira, 15, o ex-líder maoísta Pushpa Kamal Dahal, conhecido como Prachanda, como primeiro-ministro da jovem república. Prachanda obteve os votos a favor de 464 deputados, enquanto 113 votaram contra sua candidatura, anunciou o presidente da Câmara, Subash Chandra Nembang. A votação contou com a participação de apenas 577 dos 594 membros da Assembléia. Pouco antes, os deputados tinham rejeitado a moção que promovia como primeiro-ministro o candidato do até então governamental Partido do Congresso, Bahadur Deuba, que obteve 113 votos a favor e 438 contra. As votações aconteceram depois de longas horas de debate na Assembléia Constituinte. Antes da sessão desta sexta-feira, Prachanda tinha garantido o apoio do Partido Leninista e do Fórum Madheshi, principal representante da minoria madheshi, de origem indiana, que habita no sul do país. O Executivo era até agora liderado por Girija Prasad Koirala, líder do Partido do Congresso, segunda força na Assembléia, após as eleições de abril passado, nas quais venceram os maoístas. A sessão aconteceu após o fracasso de duas semanas de negociações entre os quatro grandes partidos do país para formar governo, tarefa que o presidente da República, Ram Yadav, tinha encomendado a Prachanda, como líder da principal força na Assembléia. Em novembro de 2006, começou um processo de paz no Nepal com a assinatura de um acordo entre o Governo de Koirala e a antiga guerrilha maoísta, que pôs fim a dez anos de guerra. As eleições de abril e a abolição da monarquia, no final de maio, foram passos decisivos no avanço deste processo.

Tudo o que sabemos sobre:
Nepalmaoístas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.