Ex-líder rebelde sérvio comete suicídio em prisão

O ex-líder dos sérvios na Croácia, Milan Babic, se matou em sua cela na prisão das Nações Unidas em Haia. Ele estava detido desde sua condenação, em 2004, a 13 anos de prisão por crimes contra a humanidade pelo Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII). O corpo de Babic foi encontrado em sua cela no último domingo. O presidente do tribunal da ONU, Fausto Pocar, ordenou uma investigação interna para esclarecer as circunstâncias da morte, informou o TPII em nota. Babic foi condenado por crimes contra civis não-sérvios na rebelde "República Sérvia de Krajina", no leste da Croácia. O ex-líder dos sérvios da Croácia se declarou responsável, junto com outros líderes sérvios, por expulsar e assassinar croatas e integrantes de outras etnias não-sérvias de quase um terço da Croácia durante o conflito nessa antiga república iugoslava (1991-95). Babic, de 47 anos, foi presidente de Krajina, região croata de maioria sérvia que lutou por sua própria independência após a proclamação de independência da Croácia no início da década de 1990. Em dezembro de 2002, Babic testemunhou contra Milosevic no julgamento que o TPII realizado contra o ex-presidente sérvio, acusado de crimes de guerra na Croácia e Kosovo e de genocídio na Bósnia. Atualmente ele estava testemunhando no caso contra Milan Martic, outro ex-oficial acusado pelo TPII de crimes contra não-sérvios em Krajina.

Agencia Estado,

06 Março 2006 | 10h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.