Ex-líderes do ETA pedem o fim da luta armada

Seis ex-líderes do ETA conclamaram o grupo separatista basco a abandonar a violência, afirmando que depois de décadas de luta e mortes, o grupo foi vencido pelas forças de segurança espanholas, informou hoje o jornal de Pamplona Diario de Noticias."O conflito armado que promovemos hoje não funciona", disseram os seis em uma carta endereçada à liderança clandestina do ETA. Ao invés disso, de acordo com a carta, o ETA deveria trabalhar com as instituições existentes na Espanha para promover a independência da região basca.Um dos seis assinantes é Francisco Mugica Germandia, líder do ETA no final dos anos 80 e início dos 90, um dos períodos mais violentos do ETA. De 1985 a 1990 o grupo assassinou cerca de 200 pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.