Ex-milicianos mantêm 57 reféns nas Filipinas

Bandidos que tentavam escapar da polícia, no sul das Filipinas, sequestraram hoje dezenas de camponeses e mantêm 57 reféns, mesmo depois de terem libertado 18 deles (uma mulher idosa e 17 crianças), informaram as autoridades locais.

AE-AP, Agencia Estado

10 de dezembro de 2009 | 17h14

Os homens armados, identificados como ex-milicianos treinados pelo governo, sequestraram 75 pessoas do vilarejo remoto de San Martín, na província de Agusan del Sur, e também da escola local, disse o superintendente regional da polícia, Néstor Fajura. As negociações com funcionários locais levaram à libertação de todos os 17 estudantes, bem como de uma mulher idosa, ele disse.

A polícia começou a perseguir os ex-milicianos após ter tentado prender dois deles no vilarejo vizinho. Os dois são acusados de terem matado quatro pessoas de um clã rival. Quando a polícia se aproximou do vilarejo, os ex-milicianos abriram fogo contra as autoridades e depois fugiram para o vilarejo vizinho de San Martín, onde fizeram o sequestro.

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinasrefénsmilícias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.