Johan Ordonez/AFP
Johan Ordonez/AFP

Ex-militares invadem Congresso da Guatemala para exigir indenização

Manifestantes invadiram o estacionamento do Congresso e colocaram fogo em vários veículos

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2021 | 19h12

CIDADE DA GUATEMALA - Ex-soldados da Guatemala invadiram o Congresso e incendiaram veículos estacionados nos arredores do prédio na noite de terça-feira, 19. O grupo de militares exigia que os deputados aprovassem uma indenização por serviços prestados durante a guerra civil, conflito que deixou 250 mil mortos – muitos em massacres executados pelo Exército, entre 1960 e 1996.

Os manifestantes invadiram o estacionamento do Congresso e colocaram fogo em vários veículos. Em seguida, colocaram cadeados em várias portas para evitar a saída de alguns deputados e funcionários. A polícia disse que prendeu dois dos responsáveis pela invasão. O governo e os deputados classificaram o protesto como “um ato de terrorismo”. “Existe alguém por trás desse movimento”, afirmou o deputado Carlos Barreda, que teve o gabinete incendiado.

O protesto foi convocado em repúdio à recusa dos deputados em aprovar um projeto de lei que autoriza uma indenização equivalente a US$ 15,5 mil (cerca de R$ 85 mil) para cada soldado aposentado por seus serviços durante a guerra civil. O projeto está sendo analisado pela Comissão de Finanças do Legislativo. No ano passado, em outra onda de protestos, manifestantes também atearam fogo no Congresso em um ato contra cortes na saúde e na educação./EFE 

Tudo o que sabemos sobre:
Guatemala [América Central]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.