Ex-ministra de Israel aprova morte de líder palestino

A líder da oposição no Parlamento de Israel, Tzipi Livni, elogiou o assassinato de um comandante do Hamas em Dubai, ocorrido no mês passado. Livni discursou durante uma conferência em Jerusalém nesta terça-feira e disse que "o fato de que um terrorista ter sido morto, e não importa se isso aconteceu em Dubai ou em Gaza, é uma boa notícia para aqueles que lutam contra o terrorismo".

AE-AP, Agencia Estado

23 de fevereiro de 2010 | 15h32

Este foi o primeiro comentário feito por uma autoridade israelense. Livni, do partido centrista Kadima, disse que a morte de Mahmoud al-Mabhouh foi "boa", mas não disse quem estava por trás do assassinato. Livni já foi ministra de Relações Exteriores e trabalhou para o Mossad (serviço secreto israelense) nos anos 1980.

Israel se recusou a comentar as acusações feitas por Dubai de que um grupo do Mossad, foi responsável pelo assassinato. A polícia de Dubai disse que alguns dos passaportes adulterados usado pelo grupo apresentavam identidades de israelenses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.