Ex-ministro colombiano que tramou homicídio é preso

O ex-ministro e ex-congressista colombiano Alberto Santofimio, sentenciado como coautor intelectual do assassinato do político liberal Luis Carlos Galán, morto em 1989, se entregou nesta quarta-feira à Justiça da Colômbia, após a Suprema Corte do país ratificar sua sentença de 24 anos de prisão. A diretora nacional do Corpo Técnico de Investigação da promotoria da Colômbia, Maritza González, confirmou que Santofimio se apresentou voluntariamente à sede principal da promotoria nacional em Bogotá às 17h desta quarta-feira.

AE, Agência Estado

31 de agosto de 2011 | 20h50

Santofimio foi considerado culpado pela morte de Galán, assassinado em 18 de agosto de 1989 em Bogotá. O cúmplice no crime foi o narcotraficante Pablo Escobar, chefão do extinto cartel de Medellín.

Santofimio, de 69 anos, sempre negou qualquer responsabilidade no assassinato, embora tenha admitido ter sido amigo de Pablo Escobar. Em outubro de 2007, Santofimio foi condenado a 24 anos de prisão, mas no final de 2008 o Tribunal de Cundinamarca revogou a sentença. Na manhã de hoje, a Suprema Corte da Colômbia ratificou a sentença de 2007.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.