Ex-ministro da Defesa argentino é preso por contrabando de armas

O ex-ministro da Defesa da Argentina Antonio Ermán González foi detido hoje em Buenos Aires sob acusação de contrabandear armas à Croácia e ao Equador. Ele era ministro no governo Carlos Menem. Ao ordenar a prisão, o juiz Julio Speroni disse que Ermán González será indiciado por "contrabando agravado de armas e munições".De acordo com os responsáveis pelas investigações, cerca de 6.500 toneladas de armas argentinas, que oficialmente haviam sido exportadas para o Panamá, acabaram sendo enviadas para a Croácia, em 1991, e para o Equador, em 1995.Tratados internacionais assinados pela Argentina e resoluções da ONU proibiam o envio de armas para esses países naquelas ocasiões (a Croácia estava envolvida numa das guerras da ex-Iugoslávia em 1991; o Equador teve uma breve guerra de fronteira com o Peru em 1995).Zulema Yoma, ex-mulher do ex-presidente Menem, depôs hoje a um dos juízes que investigam o caso. Ela disse que seu filho, Carlos F. Menem, lhe revelou detalhes sobre as vendas ilegais de armas pouco antes de ser morto em um acidente de helicóptero, em 1995.Menem, que tem 70 anos, deverá prestar depoimento à Justiça em 13 de julho; ele se casa neste sábado com a ex-Miss Universo Cecilia Bolocco, de 34 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.