David Mercado/Reuters
David Mercado/Reuters

Ex-ministro de Evo Morales lidera pesquisas

Candidato esquerdista à presidência da Bolívia, Luis Arce, tem ampla margem a quase um mês das eleições

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2020 | 22h27

O candidato esquerdista à presidência da Bolívia, Luis Arce, apoiado pelo ex-presidente Evo Morales, lidera as intenções de voto por ampla margem, a quase um mês das eleições, segundo pesquisa nacional divulgada nesta quarta-feira, 16.

Arce, que foi ministro da Economia no governo de Morales (2006-2019), tem 29,2% das intenções de voto, seguido do ex-presidente de centro Carlos Mesa, que tem 19%, segundo pesquisa da fundação católica Jubileo com uma rede de universidades. As eleições estão marcadas para o dia 18 de outubro. 

Em terceiro lugar, aparece o líder cívico regional de direita Luis Fernando Camacho, com 10,4%, seguido da presidente interina, Jeanine Áñez, que tem 7%. Os que disseram que votariam em branco ou nulo e os que não sabem ou não responderam somaram 27,5%.

A fundação Jubileo também determinou as porcentagens dos votos válidos. Nesse caso, Arce teria 40,3%, Mesa ficaria com 26,2%, Camacho alcançaria 14,4% e Jeanine, 10,6%.

Se os números da sondagem se confirmarem nas urnas, o ex-ministro de Morales seria eleito no primeiro turno. A Constituição boliviana declara vencedor no primeiro turno o candidato que conquista 50% mais um voto ou mais de 40% com 10 pontos porcentuais de vantagem sobre o segundo colocado.

O bom resultado para o grupo do ex-presidente veio em um momento em que as notícias não são boas para Morales. No dia 7, a Justiça vetou a candidatura dele ao Senado. O ex-presidente vive exilado na Argentina, após renunciar ao cargo sob pressão de militares, em novembro do ano passado, quando foi acusado de fraudar a eleição presidencial em que seria reconduzido ao cargo. Evo concorria a um quarto mandato consecutivo, mesmo após a população rejeitar sua candidatura em referendo, em 2016. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.