Ex-ministro sugeriu enviar suspeitos de terrorismo às Malvinas

O ex-ministro do Interior do Reino Unido David Blunkett propôs enviar suspeitos de terrorismo a Gibraltar ouàs ilhas Malvinas, segundo as suas anotações num diário que será publicado em forma de livro. Num trecho antecipado hoje pelo jornal The Guardian, com data de outubro de 2001, Blunkett cita a opinião de funcionários do Ministério de Relações Exteriores que se opunham a acordos com "determinados países", que poderiam receber os suspeitos de atividades terroristas. "Eu tinha sugerido tirar alguns deles do país e levar para Gibraltar. Mas alguém disse que era muito fácil escapar de lá, e que estava muito perto do Marrocos", escreve o ex-ministro. "Que tal a ilha de Ascensão?, perguntou, mas a idéia pareceu também não agradar ao Foreign Office. "Muito bem, poderíamos enviá-los às Malvinas", disse então. A discussão sobre aonde enviar os suspeitos de atividades terroristas aconteceu no contexto da lei antiterrorista aprovada no país pouco depois dos ataques do 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos. Em dezembro do mesmo ano, dez suspeitos de terrorismo foram detidos sem acusações na prisão de alta segurança de Belmarsh, no sudeste de Londres. Advogados e defensores dos direitos civis chegaram a chamar o local de "Guantánamo britânica".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.