AP/Sana
AP/Sana

Ex-monitor vê 'farsa' em missão da Liga Árabe na Síria

Monitores estão no país para avaliar se Assad cumpre plano para acabar com a repressão

AE, Agência Estado

11 de janeiro de 2012 | 09h47

BEIRUTE, LÍBANO - Os observadores da Liga Árabe na Síria foram submetidos nesta quarta-feira, 11, a uma nova prova, após um ex-monitor afirmar que a missão é uma "farsa". Os monitores da Liga Árabe estão no país para avaliar se o governo do presidente Bashar al-Assad cumpre um plano para acabar com a repressão militar de 10 meses contra os dissidentes.

 

Veja também:
especialMAPA: 
A revolta que abalou o Oriente Médio
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução
tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe 

 

"A missão foi uma farsa e os observadores têm sido enganados", afirmou Anwer Malek à rede al-Jazeera. "O regime orquestrou e fabricou a maior parte do que vimos para evitar que a Liga Árabe atue contra o regime."

A emissora identificou Malek como um observador que renunciou à missão por não concordar com o que ocorria. A Liga Árabe não comentou o caso.

O nome de Malek estava em uma lista de observadores enviados à Síria no fim de dezembro. Ele foi identificado como um tunisiano que trabalhava para o Comitê Árabe para os Direitos Humanos, organização sediada em Paris.

Segundo funcionários da Liga Árabe, três observadores se negaram a concluir sua missão e retornaram, alegando problemas de saúde. O funcionário, que pediu anonimato por não poder falar com a imprensa, não identificou esses três nomes. Segundo a ONU, mais de 5 mil pessoas foram mortas desde o início da repressão na Síria.

 

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.