Ex-mordomo do papa guardou milhares de documentos

A polícia do Vaticano afirmou nesta quarta-feira que encontrou milhares de documentos escondidos na casa do ex-mordomo do papa Bento XVI, incluindo papéis assinados pelo pontífice que tinham indicações de que deveriam ser destruídos após a leitura.

AE, Agência Estado

03 de outubro de 2012 | 12h25

Os policiais testemunharam no julgamento de Paolo Gabriele, ex-mordomo e homem de confiança do papa, que pode pegar até quatro anos de prisão se condenado por furto agravado. Ele vazou os documentos secretos para um jornalista italiano, no maior escândalo do pontificado de Bento XVI. Quando foi preso, Gabriele disse que agiu para expor o "mal e corrupção" na Igreja.

As últimas quatro testemunhas foram ouvidas nesta quarta-feira e os argumentos finais estão agendados para o domingo, quando também deve sair o veredicto.

Na terça-feira Gabriele declarou-se inocente das acusações de furto, mas reconheceu que fotocopiou os papéis e traiu a confiança do papa, que ele disse amar como a um pai. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Vaticanomordomopapa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.