Ex-motorista de Bin Laden deixará Guantánamo

O iemenita Salim Hamdan, ex-motorista do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, deixará o centro de detenção de Guantánamo em breve e voltará para seu país natal, informou ontem a Embaixada do Iêmen em Washington. O motorista, condenado em agosto a 5 anos e 6 meses de prisão por cumplicidade com terroristas, foi capturado no Afeganistão em 2001. Ele cumprirá o restante de sua pena no Iêmen até ser libertado, em 27 de dezembro.Ainda não se sabe ao certo quando Hamdan deixará a base americana em Cuba, mas se acredita que ele deve retornar ao Iêmen ainda esta semana. O motorista foi o primeiro acusado de crimes de guerra em um tribunal dos EUA desde a 2ª Guerra.Hamdan foi julgado pelas polêmicas "comissões militares", criadas pelo governo do presidente George W. Bush para julgar fora das cortes civis e militares os casos relacionados ao terrorismo após os atentados de 11 de setembro de 2001."O governo do Iêmen está feliz com o anúncio de transferência do preso Salim Hamdan", afirmou Mohammed al-Basha, porta-voz da embaixada iemenita nos EUA. "Esperamos que esse seja um passo positivo para a transferência dos outros presos."Dos cerca de 250 detidos em Guantánamo, 100 são do Iêmen. De acordo com o jornal The Washington Post, a decisão do Pentágono de autorizar a transferência de Hamdan foi tomada para evitar o que poderia ser um conflito diplomático. Apesar de a repatriação do motorista ser o primeiro acordo bem-sucedido entre os dois governos sobre presos de Guantánamo, o caso é particular e não implica outras libertações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.