Ex-mulher e filho de franco-atirador aceitam pena de morte

A primeira mulher de John Allen Muhammad - o franco-atirador de Washington - e seu filho defenderam que ele seja condenado à pena de morte. "Caso ele tenha se sentado num carro e assassinado gente inocente, se o acharem culpado, sim", declarou Carol Williams, ao lado de seu filho Lindbergh Williams, de 20 anos, à rede de tevê CNN.Muhammad foi preso na semana passada, junto com seu cúmplice, o jamaicano John Lee Malvo. Veterano da Guerra do Golfo, entre os dia 2 e 22 Muhammad aterrorizou Washington, onde teria matado a tiros 10 pessoas e ferido outras três. Por enquanto, ambos enfrentam acusações de homicídio nos Estados de Maryland, Virgínia e Alabama. Na semana passada, promotores desses Estados defenderam que ele seja condenado à morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.