Ex-padre é indiciado por abuso sexual na Itália

Um ex-padre foi indiciado hoje por ter supostamente molestado sexualmente 12 jovens quando eles passavam por tratamento no centro de reabilitação para viciados em drogas fundado por ele na Itália. Pierino Gelmini, de 85 anos, disse que as acusações são infundadas e impossíveis, tendo em vista sua idade. As vítimas dizem que os abusos continuaram até 2004.

AE-AP, Agência Estado

18 de junho de 2010 | 17h53

A investigação foi uma das primeiras a ocupar as manchetes na Itália, onde o abuso sexual cometido por clérigos é um tabu e raramente é discutido. O caso Gelimini é particularmente explosivo porque o padre era um dos mais reconhecidos, admirados e bem relacionados padres quando as acusações contra ele foram levantadas em 2007.

Nove homens disseram que foram abusados sexualmente enquanto permaneceram no centro de reabilitação Comunita Incontro, localizado da cidade de Amelia, na Úmbria. O número de vítimas subiu para 12.

Um ano depois que as acusações foram feitas, Gelmini pediu para ser liberado de suas funções eclesiásticas, afirmando que assim poderia se defender melhor. Ele já não pode celebrar missa ou se apresentar como sacerdote, mas ainda é chamado de "Don Gelmini".

Tudo o que sabemos sobre:
padreabuso sexualItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.