Ex-premiê da França vai concorrer à presidência

O ex-primeiro-ministro da França Dominique de Villepin, que ganhou reconhecimento internacional como porta-voz da França contra a guerra no Iraque, anunciou na noite de domingo que concorrerá à presidência do país como independente.

AE, Agência Estado

12 de dezembro de 2011 | 10h24

A novidade deve complicar a vida tanto do candidato oposicionista do Partido Socialista, François Hollande, como do presidente Nicolas Sarkozy, membro do União por um Movimento Popular, que já teve Villepin como membro. Apresentando-se como candidato de centro, Villepin pode ganhar votos dos dois rivais, mas a novidade é desafiadora especialmente para Sarkozy, pois os dois políticos são duros rivais.

Villepin foi inocentado em setembro de acusações de que tenha tomado parte em uma campanha para difamar Sarkozy. No domingo, ele criticou o presidente por não proteger os interesses da França, durante recente encontro de líderes da UE, e por impor vários cortes ao orçamento.

Sarkozy ainda não declarou sua candidatura, mas deve se apresentar.

Villepin, por sua vez, buscou distanciar-se do UMP e da política partidária em geral. Segundo ele, a França tem sido humilhada "pela lei dos mercados, que continuam impondo a nós mais austeridade". O candidato criticou o acordo da UE fechado em Bruxelas na semana passada para que possa haver mais monitoramento dos orçamentos nacionais. Sarkozy e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, foram os principais autores do acordo.

Membros do UMP atacaram a decisão de Villepin, dizendo que ela podia dividir o partido. Villepin tem poucas chances de vencer, mas pode roubar votos importantes. As eleições ocorrerão em dois turnos, em abril e maio. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançapolíticaVillepin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.