Rungroj Yongrit/Efe
Rungroj Yongrit/Efe

Ex-premiê da Tailândia terá de devolver US$ 1,4 bilhão ao país

Justiça declarou que magnata das telecomunicações Thaksin Shinawatra usou poder público para enriquecer

estadao.com.br,

26 de fevereiro de 2010 | 11h17

A Corte Suprema da Tailândia condenou nesta sexta-feira, 26, o ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, atualmente exilado, a devolver US$ 1,4 bilhão de sua fortuna por ter utilizado seu poder público quando estava no cargo em favor dos interesses de sua empresa.

 

Os nove magistrados da Corte suprema determinaram a devolução de parte dos mais de 76 bilhões de bahts (cerca de US$ 2,3 bilhões) que representam a fortuna atual do magnata da telecomunicações. Segundo os juízes, "confiscar todo o dinheiro seria injusto, já que parte foi adquirida antes de Thaksin se tornar premiê".

 

O dinheiro vem da venda de metade do grupo de telecomunicações Shin Corp. para o grupo Temasek, de Cingapura, em janeiro de 2006. "A maioria dos juízes estabeleceu que Shinawatra utilizou seu poder público em favor do Shin Corp.", declararam os magistrados eu um veredicto transmitido pelo rádio e pela televisão locais.

 

Shinawatra ficou no poder na Tailândia entre 2001 e 2006, quando foi deposto por um golpe de Estado. Não ficou claro se o restante do dinheiro não confiscado seria devolvido ao ex-premiê. A quantia está congelada pela justiça tailandesa.

(Com Reuters e Associated Press)

Tudo o que sabemos sobre:
TailândiaShinawatrajustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.