AP
AP

Ex-premiê de Israel, Ehud Olmert é indiciado por corrupção

Ehud Olmert deixou o cargo há um ano por causa das alegações, mas nega ter cometido irregularidades

BBC Brasil, BBC

30 de agosto de 2009 | 14h33

O ex-primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, foi indiciado por corrupção, anunciaram neste domingo assessores do promotor-geral do país, Menahem Mazuz.  

 

Chanceler israelense renunciará se for acusado por corrupção

Pressionado por acusações de envolvimento em escândalos, Olmert, que estava à frente do partido Kadima, renunciou ao cargo de primeiro-ministro em setembro do ano passado. Ele permaneceu à frente do governo até a posse do líder do Likud, Benjamin Netanyahu, em março.

As acusações são ligadas a eventos ocorridos antes que Olmert se tornasse primeiro-ministro, em 2006. Ele foi prefeito de Jerusalém e ministro da Indústria.

O político israelense nega ter cometido irregularidades. "Olmert está convencido de que vai poder provar sua inocência no tribunal de uma vez por todas", disse nota emitida por seu porta-voz neste domingo.

Entre as acusações que pesam sobre Olmert, está a de ter recebido ilicitamente centenas de milhares de dólares em doações de campanha, na época em que era prefeito de Jerusalém. Ele teria recebido dinheiro do empresário judeu americano Morris "Moshe" Talansky para financiar diversas campanhas eleitorais.

Olmert admitiu ter recebido dinheiro de Talansky, mas afirmou que eram doações legítimas para ajudar suas campanhas para a reeleição na prefeitura e para a liderança do Likud, partido a que pertencia na época.

Um outro caso é relativo ao pedido de reembolso de despesas com viagens ao exterior. A polícia suspeita que "somas consideráveis" que sobravam depois que as despesas eram pagas eram transferidas pelo político para uma conta especial que sua agência de viagem administrava para ele.

Uma terceira acusação apresentada pelo promotor-geral é relativa a conflito de interesses. Investigadores alegam que Olmert arranjou oportunidades de investimento para um amigo, Uri Messner, quando era ministro da Indústria.

De acordo com o escritório de Mazuz, Olmert é o primeiro ex-premiê israelense a sofrer processo criminal na história do país.

Sua secretária particular, Shula Zaken, também foi acusada de envolvimento em corrupção.     BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
gazaisraelhamascessar-fogoolmert

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.