Nir Elias/Reuters
Nir Elias/Reuters

Ex-premiê israelense Ehud Barak anuncia que deixa a política

Anúncio é feito a pouco menos de dois meses das eleições em Israel; Barak fica na Defesa até a formação de novo governo

Efe

26 de novembro de 2012 | 08h39

TEL-AVIV - O ministro da Defesa e ex-primeiro-ministro de Israel, Ehud Barak, um dos mais importantes dirigentes do governo liderado por Binyamin Netanyahu, anunciou nesta segunda-feira, 26, em entrevista coletiva, que deixa a vida política a apenas dois meses das próximas eleições gerais.

Barak, que rompeu com o Partido Trabalhista em 2011 para criar sua própria legenda, Atzmaut (Independência), após as desavenças por seu apoio à coalizão governamental direitista de Netanyahu, afirmou que não participará das próximas eleições porque deseja "passar mais tempo" com sua família. "Tomei a decisão, não sem ter dúvidas, mas por fim de todo o coração", explicou Barak. "Há muitas formas de contribuir com o Estado, a política não é a única", acrescentou.

Além disso, ele expressou seu agradecimento pelo "apoio recebido da sociedade nos últimos dias" e ressaltou que não vai participar das próximas eleições. O ministro disse que continuará à frente da pasta da Defesa até que se forme um novo governo, dentro de três meses.

As pesquisas de intenção de voto indicavam, a princípio, pouco apoio ao Atzmaut. Porém, após a ofensiva militar de Israel em Gaza, o partido ganhou popularidade e era apontado por novas enquetes como vencedor de quatro cadeiras no pleito legislativo de 22 de janeiro do ano que vem.

Após o anúncio de Barak, Netanyahu divulgou uma mensagem na qual afirmou que "respeita" a decisão do ministro da Defesa, o agradece por "sua colaboração com o governo" e elogia "muito sua grande contribuição de anos à segurança do Estado".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.