Ex-premiê pede ao Hezbollah que entregue suspeitos

O Líbano "pagará o preço" pela recusa do Hezbollah (Partido de Deus) em entregar os quatro integrantes de suas fileiras acusados de envolvimento no atentado que resultou na morte do ex-primeiro-ministro Rafic Hariri, advertiu hoje Saad Hariri, filho do ex-chefe de governo e ele também ex-primeiro-ministro do país.

AE, Agência Estado

12 de julho de 2011 | 17h30

Os comentários de Saad Hariri foram feitos durante uma entrevista concedida hoje a uma emissora de televisão. Trata-se da primeira reação pública de Hariri desde o indiciamento, no fim do mês passado, de quatro pessoas ligadas ao Hezbollah e suspeitas de envolvimento no atentado que resultou na morte de Rafic Hariri e mais 22 pessoas em fevereiro de 2005.

Na entrevista, Hariri qualificou o atual primeiro-ministro libanês, Najib Mikati, como um "agente" do Hezbollah e cobrou do governo que vá atrás dos suspeitos. O xeque Hassan Nasrallah, líder supremo do Hezbollah, prometeu jamais entregar os suspeitos ao tribunal. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoHezbollahHariri

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.