Ex-premiê Sharif volta ao Paquistão e deve participar de eleição

O ex-primeiro-ministropaquistanês Nawaz Sharif voltou de seu exílio e vai seregistrar nesta segunda-feira para as eleições de janeiro, dasquais só deve participar se o presidente Pervez Musharrafsuspender o estado de emergência. Deposto há oito anos por Musharraf, Sharif estava vivendona Arábia Saudita, de onde partiu no domingo. Ele disse que adeclaração do estado de emergência, no dia 3, deixou oPaquistão à beira de um desastre. Ele afirmou ainda que não vai se candidatar a premiêenquanto Musharraf estiver no poder, e que o presidente devereempossar os juízes destituídos sob o estado de emergência. Docontrário, o ex-premiê pode boicotar a eleição de 8 de janeiro. "Se alguém te empurra contra a parede, que opções restam? Oboicote continua sendo uma opção muito potente para aoposição", disse Sharif a jornalistas em Lahore. Governos ocidentais temem que o estado de emergência, comrestrições às liberdades democráticas, acabe dando vantagem aosmilitantes islâmicos ativos no país. Houve mais de 25 atentados suicidas no país desde julho,sendo dois deles no sábado, em Rawalpindi, com pelo menos 15mortos. Paralelamente, segundo os militares, 15 militantes forammortos em combates no vale do Swat. O general Musharraf ganhou um novo mandato numa eleiçãoindireta e deve deixar o comando do Exército para tomar possepela segunda vez nos próximos dias. (Reportagem adicional de Simon Gardner e AugustineAnthony)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.