Ex-premier acredita que obterá acordo com Musharraf

Benazir Bhutto se reúne com maior partido da oposição paquistanesa e se diz otimista com coalizão

Efe,

04 de outubro de 2007 | 20h04

A ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto se mostrou otimista nesta quinta-feira, 4, em obter um acordo de reconciliação com o presidente Pervez Musharraf. Bhutto disse em Londres, no entanto, que nada foi concluído. A ex-premier pediu ainda que sejam retiradas as acusações de corrupção que pesam contra ela. O general Musharraf quer um acordo para compartilhar o poder com o Partido Popular do Paquistão (PPP), a fim de contar com um maior apoio popular. Após manter uma reunião com o PPP, principal legenda da oposição, Bhutto afirmou em entrevista coletiva que espera "que as coisas se resolvam, mas neste momento não são definitivas". "O general Musharraf afirmou que quer a reconciliação nacional. Nós também a queremos. O país deveria esquecer o passado e olhar para um futuro melhor", disse a ex-primeira-ministra. No final de julho, Bhutto e Musharraf se reuniram em Abu Dhabi para negociar um acordo de repartição de poder, embora as duas partes tenham dito que as conversas fracassaram. Bhutto exigia a Musharraf que abandonasse a chefia do Exército para se manter na Presidência. A líder opositora também queria que fossem retiradas as acusações contra ela e pedia a alteração da Constituição para que possa se tornar primeira-ministra pela terceira vez.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoMusharraf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.