Ex-premier russo se recupera após doença misteriosa

O ex-premier russo Yegor Gaidar se recupera bem em uma clínica de Moscou após desmaiar na sexta-feira da semana passada durante uma conferência em Dublin, na Irlanda. O porta-voz do ex-primeiro-ministro, Valeri Natárov, declarou que os médicos ainda não conseguiram descobrir que tipo de doença atacou Gaidar repentinamente, mas descartou um envenenamento. O presidente da União dos Empresários e Industriais da Rússia, Alexander Shojin, defende, porém, que o envenenamento de Gaidar é evidente pois o fato dos médicos não terem descoberto ainda as causas, significa que "a ação foi muito bem planejada". Após o desmaio, Gaidar ficou inconsciente por cerca de três horas e somente nesta segunda-feira pôde ser transferido para um hospital de Moscou, cujo nome é mantido em sigilo. Seu desmaio ocorreu exatamente um dia depois da morte em Londres do ex-espião russo Alexander Litvinenko, em cujo corpo foram encontrados restos de polônio 210, uma substância extremamente radioativa. Antes de morrer, o ex-espião acusou os serviços secretos russos e responsabilizou diretamente o presidente da Rússia, Vladimir Putin. Moscou porém tem negado categoricamente qualquer envolvimento na morte de Litvinenko e tem advertido a possibilidade da morte ter sido planejada com o intuito de desestabilizar o governo russo. Shojin destacou que por trás da morte do ex-espião e de Gaidar estão serviços secretos de outros países que, desta maneira, pretendem atacar os serviços secretos russos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.