Ex-premiês de Cingapura deixam gabinete

O ex-premiê e fundador de Cingapura, Lee Kuan Yew, anunciou neste sábado sua renúncia ao cargo de ministro, após o partido governista apresentar na semana passada seu pior resultado eleitoral desde a independência da cidade-Estado, em 1965. O ex-primeiro ministro Goh Chok Tong também renunciou à sua posição no gabinete.

AE-AP, Agência Estado

14 de maio de 2011 | 10h38

Em comunicado conjunto, Lee e Goh disseram que iriam deixar seus postos para "abrir caminho à uma geração de líderes mais jovens".

Lee, de 87 anos, foi o primeiro premiê de Cingapura, entre 1959 e 1990. Goh o sucedeu, permanecendo no cargo até 2004.

Nas eleições gerais de 7 de maio, o Partido de Ação Popular, da situação, manteve o predomínio no Parlamento, mas recebeu apenas 60% dos votos, contra 67% em 2006 e 75% em 2001. Já os oposicionistas do Partido dos Trabalhadores obtiveram seis cadeiras, sua maior conquista desde a independência.

"Depois de uma eleição histórica, decidimos deixar o gabinete e permitir que uma equipe mais jovem de ministros interaja com a nova geração e molde o futuro de nossa Cingapura," disseram os ex-líderes no comunicado. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Cingapurarenúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.