Ahmad Masood /Reuters
Ahmad Masood /Reuters

Ex-presidente afegão é enterrado em Cabul sob forte esquema de segurança

Burhanuddin Rabbani foi assassinado na última terça em sua casa por um terrorista suicida

Efe

23 Setembro 2011 | 09h26

CABUL - Os principais líderes afegãos acudiram nesta sexta-feira, 23, em Cabul ao funeral do ex-presidente Burhanuddin Rabbani, assassinado na última terça em sua casa por um terrorista suicida, após um ato público ao qual assistiram milhares de pessoas.

 

"Assim como levara em sua mão a bandeira da luta e da resistência, agora Rabbani levava a bandeira da paz e da estabilidade no país", disse Karzai pouco antes da celebração de uma oração no funeral, no palácio presidencial

 

"Seu posto ficou vazio", acrescentou diante dos principais membros de seu gabinete.

 

Após a oração, o corpo de Rabbani, envolvido em uma bandeira afegã, foi depositado em um ataúde e transportado pela guarda presidencial para o cemitério situado em uma colina do bairro de Wazir Akbar Khan, próximo a sua residência.

 

Ao funeral também acudiram representantes de países árabes e de outras nações da região, como Tajiquistão, Irã e Paquistão, para render homenagem ao dirigente assassinado, segundo informaram à Agência Efe porta-vozes presidenciais afegãos.

 

Rabbani, ex-presidente afegão e chefe do Conselho de Paz encarregado de negociar com os taleban, foi assassinado na terça-feira por um terrorista suicida que foi a sua casa com o pretexto de levar uma mensagem de paz proveniente da cúpula insurgente.

 

Os serviços de inteligência afegãos atribuíram o assassinato ao 'conselho' que os líderes taleban supostamente mantêm na cidade de Quetta, no vizinho Paquistão, embora os insurgentes não tenham reivindicado o atentado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.