Ex-presidente boliviano será processado por genocídio

O ex-presidente boliviano Gonzalo Sánchez de Lozada e seu ex-ministro da Defesa Carlos Sánchez serão denunciados perante o Tribunal Penal Internacional (TPI) por "genocídio", disse hoje o deputado cocalero Evo Morales. Morales anunciou neste sábado que seu partido, o Movimento Ao Socialismo (MAS), segunda força parlamentar da Bolívia, apresentará nos próximos dias uma denúncia contra o ex-presidente, que fugiu ontem para Miami ao lado de seus mais estreitos colaboradores.O líder indígena acusa o ex-presidente e seu ministo de terem provocado a morte de 110 pessoas na repressão aos protestos sociais que culminaram, ontem, na renúncia de Lozada depois de um ano e setenta e dois dias de governo.Também neste sábado, o presidente do Chile, Ricardo Lagos, ofereceu à Bolívia "um diálogo para o benefício mútuo de nossos povos". Os dois países não têm relações diplomáticas desde 1978, quando fracassaram as negociações para que a Bolívia recuperasse sua saída para o mar, perdida para o Chile durante guerra travada um século antes.Por sua vez, os Estados Unidos enviaram uma equipe de especialistas do Pentágono à Bolívia para avaliar a segurança da embaixada americana depois dos protestos desta semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.