AFP PHOTO / JOEL SAGET
AFP PHOTO / JOEL SAGET

Ex-presidente da França, Nicolas Sarkozy é indiciado por associação criminosa

Ministério Público francês acusa o ex-mandatário do país de ter recebido financiamento líbio durante a campanha eleitoral de 2007

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2020 | 08h13
Atualizado 16 de outubro de 2020 | 08h15

O ex-presidente da França, Nicolas Sarkozy, foi indiciado nesta sexta-feira, 16, por suspeita de associação criminosa. Sarkozy é acusado pela justiça francesa de ter recebido financiamento do governo líbio - à época, dirigido pelo ditador Muammar Kadafi - em sua campanha de 2007.

De acordo com o jornal francês Le Figaro, o ex-presidente foi ouvido nas últimas semanas por juízes responsáveis ​​pelo caso.

Essa não é a primeira investigação contra Sarkozy. O ex-líder francês foi indiciado em março de 2018 por "corrupção passiva", "ocultação de desvio de fundos públicos" e "financiamento ilegal de campanha" e colocado sob supervisão judicial. Em janeiro, uma denúncia complementar abriu caminho para o agravamento do caso.

Durante a sua última audiência, em junho de 2019, Nicolas Sarkozy se declarou "totalmente inocente neste caso", denunciado uma "conspiração"./ AP E LE FIGARO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.