Ex-presidente da Guatemala é preso por desviar dinheiro

A polícia da Guatemala prendeu hoje o ex-presidente do país, Alfonso Portillo, a pedido da Justiça dos Estados Unidos. Portillo é acusado de lavagem de dinheiro.

AE-AP, Agencia Estado

26 de janeiro de 2010 | 18h33

Os EUA acusaram Portillo de furtar doações estrangeiras que estavam destinadas à compra de livros infantis para bibliotecas públicas na Guatemala.

O procurador-geral da Guatemala, Amílcar Velásquez, disse que Portillo, de 58 anos, foi preso na província de Izabal, 300 quilômetros ao norte da Cidade da Guatemala.

Portillo é acusado de usar bancos estrangeiros para lavar milhões de dólares. O procurador-geral do governo americano, Preet Bharara, disse que Portillo converteu "o escritório da presidência da Guatemala em seu caixa eletrônico pessoal", quando governou o país centro-americano entre 2000 e 2004. A Justiça americana diz que Portillo desviou US$ 1,5 milhão doados pelo governo de Taiwan para a compra de livros escolares infantis. Portillo também teria desviado no período US$ 14 milhões dos cofres do governo guatemalteco.

Ao finalizar seu mandato, Portillo foi viver na Cidade do México, onde permaneceu até 2008, quando foi extraditado à Guatemala para responder às acusações de ter desviado os US$ 14 milhões do governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.