Ex-presidente de Israel é condenado por estupro

Um tribunal israelense condenou ontem o ex-presidente Moshe Katsav pelo estupro de uma funcionária no período em que o político comandou o Ministério do Turismo de Israel, em 1998. Katsav, de 65 anos, pode pegar uma pena de no mínimo 4 anos.

, O Estado de S.Paulo

31 de dezembro de 2010 | 00h00

O ex-presidente também foi condenado por "atos indecentes e assédio sexual" contra outras duas mulheres que trabalharam com ele durante a presidência, em 2000 - as acusações foram negadas pelo réu. Katsav ainda responderá por obstrução à Justiça e assédio a testemunhas.

O veredicto encerra um processo jurídico de quatro anos e meio que mobilizou a atenção dos israelenses por seus detalhes sombrios e reviravoltas.

O ex-presidente deixou o cargo em 2007, duas semanas antes do final de seu mandato de sete anos, após fazer um acordo nos tribunais pelo qual ele teria a pena reduzida caso assumisse a autoria dos crimes.

Antes de ser presidente, Katsav foi ministro em vários governos liderados pelo partido de direita Likud. Embora em Israel o cargo seja meramente cerimonial, o presidente é o chefe de Estado e representa o país em eventos oficiais em todo o mundo. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.