Ex-presidente do Equador afirma ter pedido asilo

O ex-presidente Gustavo Noboa anunciou ter pedido asilo à Embaixada da República Dominicana, por considerar-se um perseguido político no Equador. Através de uma gravação transmitida pela televisão, o ex-presidente afirmou que "buscam minha prisão e minha desqualificação como ator político... acusando-me de um delito de lesa pátria que não cometi". " Com profunda dor devo comunicar-lhes que hoje tomei uma das decisões mais amargas de minha vida, ao solicitar asilo político para evitar que a perseguição e o ódio de um homem acabem por destruir as últimas esperanças de milhares de equatorianos", acrescentou. Foi uma alusão ao ex-presidente León Febres Cordero (1984-1988), seu rival político, que denunciou recentemente que a negociação da dívida externa ocorrida em julho de 2000, durante o governo de Noboa, havia gerado perdas em torno de US$ 9 bilhões ao país. O segundo secretário da embaixada dominicana, Fernando Rodríguez, no entanto, disse à imprensa não ter sido informado sobre o pedido. "Não sabemos de nada", afirmou ele. Uma funcionária da embaixada disse por telefone à Associated Press que Noboa não havia ingressado na representação diplomática e que o embaixador estava fora do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.