Ex-presidente do Haiti voltará ao país três dias antes de segundo turno

Jean Bertrand Aristide foi deposto em 2004 por revolta popular e está exilado na África do Sul

Roberto Simon, enviado especial do Estado,

16 de março de 2011 | 16h33

PORTO PRÍNCIPE - Figura polarizadora no Haiti, o ex-presidente Jean-Bertrand Aristide deve desembarcar nesta quinta-feira, 17, em Porto Príncipe, três dias antes do segundo turno das conturbadas eleições haitianas. A informação partiu de uma fonte ligada ao ex-presidente, que falou em condição de anonimato à agência France Presse.

Veja também:

especial Linha do tempo: A história do Haiti

Aristide foi duas vezes presidente: entre 1990 e 1991, quando acabou derrubado por um golpe militar, e entre 2001 e 2004, ano em que se viu imerso em uma rebelião popular e teve de trocar o Haiti pela África do Sul. Padre ligado à Teologia da Libertação, ele consolidou seu poder com o apoio de gangues de rua conhecidas como "Chimères" (quimeras).

O ex-presidente ainda é popular em alguns bairros da capital e entre simpatizantes de seu partido, o centro-esquerdista Lavalas, considerado a maior organização política do Haiti. O Lavalas foi banido das atuais eleições. Aristide, porém, é odiado por setores nacionalistas e por grupos liberais que sofreram sob seu regime.

Caso de fato desembarque hoje em Porto Príncipe, ele será o segundo ex-presidente a retornar durante o processo eleitoral haitiano.

Em janeiro, o ex-ditador Jean-Claude Duvalier (1971-1985), o "Baby Doc", subitamente reapareceu no Haiti, encerrando 26 anos de exílio autoimposto. Duvalier está sendo investigado por corrupção e atrocidades cometidas sob seus 14 anos de governo - quando 30 mil haitianos teriam sido assassinados.

As tropas de paz do Brasil no Haiti, entretanto, não acreditam que a volta de Aristide prejudique o processo eleitoral. "Ele tem o direito constitucional de retornar ao seu país e estamos preparados para responder a eventuais problemas causados por seus simpatizantes", afirmou o comandante do segundo batalhão brasileiro, coronel Henrique Nolasco. "Baby Doc voltou e demos conta da situação tranquilamente."

No domingo, haitianos vão às urnas escolher entre o pop star Michel Martelly e a professora e ex-primeira-dama Mirlande Manigat.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.