Ex-presidente do Irã propõe libertação de manifestantes

O influente clérigo e ex-presidente iraniano Akbar Hashemi Rafsanjani propôs hoje a libertação de centenas de pessoas detidas durante os protestos promovidos pela oposição ao presidente Mahmoud Ahmadinejad depois das eleições do mês passado. Rafsanjani disse que o contestado pleito presidencial quebrou a confiança dos iranianos e afirmou ter formulado uma possível solução. "A principal questão é recuperar a confiança que o povo iraniano tinha e agora, de certa forma, foi quebrada", disse ele. "Não é necessário que, numa situação assim, pessoas fiquem detidas. Deixem que retornem a suas famílias. Não devemos permitir que os inimigos nos critiquem e nos ridicularizem por causa de detenções. Devemos tolerar uns aos outros."

AE-AP, Agencia Estado

17 de julho de 2009 | 12h09

As autoridades iranianas detiveram centenas de pessoas durante a repressão aos protestos que se seguiram a denúncias de fraude nas eleições de 12 de junho, vencidas por Ahmadinejad em primeiro turno. Hoje, forças de segurança iranianas lançaram bombas de gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes que se reuniram perto da Universidade de Teerã, no primeiro protesto pós-eleitoral de vulto em mais de uma semana. Milhares de pessoas haviam se aglomerado no campus encorajadas pela presença do líder oposicionista Mir Hossein Mousavi nas tradicionais orações islâmicas de sexta-feira. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.