Vladimir Pirogov/Reuters
Vladimir Pirogov/Reuters

Após conflito que resultou em uma morte, ex-presidente do Quirguistão é preso por corrupção

Policiais tentaram prender Atambáyev na quarta, 7, mas ação terminou em conflito entre as forças de segurança e seus partidários

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de agosto de 2019 | 03h20

BISHKEK - Acusado por corrupção e em conflito aberto com seu sucessor, o ex-presidente do Quirguistão Almazbek Atambáyev foi preso nesta quinta-feira, 8, após confrontos entre seus partidários e a polícia deixarem um morto e dezenas de feridos.

"Atambáyev será entregue às autoridades competentes para continuar as investigações em andamento", informou uma nota do Ministério do Interior. Segundo o site 24.kg, o ex-presidente Atambáyev "decidiu se entregar".

Uma primeira tentativa  para prender Atambáyev em sua residência foi feita na quarta-feira, 7, e se transformou em uma batalha entre as forças de segurança e seus partidários, que pegaram em armas para defende o ex-presidente.

Um membro das forças especiais foi morto, e o chefe de polícia da província de Shui ficou ferido em estado grave.

No total, 35 pessoas, entre elas 14 agentes das forças de segurança, ficaram feridas, segundo o Ministério da Saúde.

O país enfrenta uma grave crise política e já viveu duas revoluções em 2005 e 2010.

Presidente de 2011 a 2017, Almazbek Atambáyev, de 62 anos, foi acusado em junho em um caso de corrupção - aquisição de terras e envolvimento com a máfia -, perdendo assim o foro especial como ex-presidente.

Ele denuncia as acusações como uma manobra política de seu sucessor e ex-aliado, Soronbai Jenbekov.

Atambáyev conseguiu eleger Jenbekov, a quem considerava seu herdeiro político, mas o novo presidente afastou vários funcionários fiéis a seu antecessor, o que causou o afastamento entre os dois.

Seu conflito pessoal agora causa sérios distúrbios nessa antiga república soviética da Ásia Central, fragilizada por frequentes tensões étnicas.

O presidente Jenbekov interrompeu suas férias para voltar a Biskek e, na manhã desta quinta, reuniu-se com o Conselho de Segurança Nacional. Acusou Atambáyev de "atropelar de maneira rude" a Constituição e exigiu medidas imediatas para manter a lei, a paz e a segurança no país.

Em junho, o ex-presidente chegou a viajar para a Rússia, um país aliado do Quirguistão, para se encontrar com o Vladimir Putin.

O presidente russo ficou então preocupado com possíveis tumultos, defendendo a "estabilidade política" em um cenário nacional de crises recorrentes.

O assalto de quarta-feira à residência do ex-presidente foi violento. Policiais e partidários de Atambáyev jogaram pedras uns nos outros. Também foram feitos reféns, que sofreram agressões.

Em um vídeo divulgado nesta quinta-feira, o analista político e videoblogger Azim Azim não descartou que a situação no país possa degenerar para um conflito civil. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.