Ex-presidente Menem é acusado de fraude fiscal

O ex-presidente da Argentina Carlos Menem foi acusado de fraude fiscal, por não ter declarado a existência de uma conta de US$ 600 mil num banco suíço. Menem, cujo governo entre 1989 e 1999 foi marcado por suspeitas de corrupção, não corre risco de ser preso se for condenado, mas poderá perder os direitos políticos.O ex-presidente, de 74 anos, admitiu ter uma conta na Suíça no ano passado, depois de ter negado por repetidas vezes sua existência. Menem disse que a conta foi aberta em 1986, com cerca de US$ 200 mil de uma indenização que ele recebeu por ter sido preso como prisioneiro político durante a ditadura militar na Argentina.Menem disse que a conta é legal e que o dinheiro, com a correção de juros, aumentou para cerca de US$ 600 mil. O ex-presidente não quis fazer comentário público sobre a acusação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.