José Fucs / Estadão
José Fucs / Estadão

Ex-presidente Obama ganha fãs em SP 

Democrata se reuniu com jovens na cidade 

Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2017 | 22h14

O encontro do ex-presidente Barack Obama com os jovens líderes teve convite para visitar Salvador, piada sobre a apresentadora Oprah Winfrey e momento de cavalheirismo – com Obama oferecendo um lenço a uma das participantes.

+ Obama faz mea culpa sobre atual nível de intolerância nos EUA

Entre os convidados estavam o fundador do movimento Acredito José Frederico Lyra Netto; o diretor executivo do Instituto Mídia Étnica, Paulo Rogério Nunes; o criador do projeto Constituição na Escola, Felipe Neves; o ex-prefeito de Pelotas Eduardo Leite (PSDB); a idealizadora do Project Acess, Deborah Lourenço, entre outros.

O evento foi cercado de mistério e os convidados ficaram impedidos de dar entrevistas ou fornecer qualquer detalhe do encontro para a imprensa. De fato, eles foram avisados minutos antes sobre o andar e a sala em que a reunião ocorreria: 26.º andar, no lounge executivo do hotel Hilton. 

Antes de entrar na sala, o grupo passou por um detector de metal e foi aconselhado a colocar os celulares no modo silencioso. 

A evidente tensão foi quebrada pelo próprio Obama – que ao entrar no recinto tirou o paletó, arregaçou as mangas e cumprimentou cada participante. Ele teria dito que a ideia do encontro é que ele pudesse “mais ouvir do que falar”. Ainda assim, fez um breve resumo das pretensões e intenções de sua fundação – que seria o de fomentar a criação de líderes na sociedade civil. 

A conversa foi toda em inglês e não foi preciso a utilização de intérpretes. Cada convidado pôde contar um pouco de sua experiência. Paulo Rogério Nunes, do Instituto Mídia Étnica, chegou arrancar risadas de Obama quando pediu para que ele convidasse a apresentadora Oprah, que é amiga dele, para visitar o Brasil também. “Aproveitei para sugerir que ele fosse para Salvador. Ele não disse nem sim, nem não, mas foi simpático com o convite”, falou Nunes. 

Em um dos momentos mais fortes do encontro, Deborah Lourenço se emocionou ao contar a própria história de vida ao ex-presidente americano. Neta de uma empregada doméstica negra moradora de favela, Deborah chorou. Obama ofereceu o próprio lenço para a participante enxugar as lágrimas. Ela ficou com o lenço de recordação. “Ele deixou eu demonstrar minha emoção. Depois, me deu um abraço. Até brinquei que tinha feito aquilo de propósito só para ganhar uma lembrança”, contou Deborah. 

No final do encontro, os participantes puderam tirar fotos com Obama – mas não usando os próprios celulares. As fotos foram tiradas pelos assessores da fundação e devem ser entregues por e-mail aos participantes. 

 

Mais conteúdo sobre:
Barack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.