Ex-presidente paquistanês Musharraf pode ser preso

O ex-presidente do Paquistão Pervez Musharraf será preso por suposto envolvimento no assassinato da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto se retornar ao país, um promotor de justiça disse neste sábado.

AE, Agência Estado

07 de janeiro de 2012 | 15h27

Não há necessidade de "novos mandados de prisão" para ele, porque um tribunal já emitiu ordens para sua prisão, disse o promotor Chaudhry Zulfiqar Ali.

Horas antes, Musharraf disse a um canal de TV paquistanês que voltaria ao país em janeiro para concorrer nas próximas eleições parlamentares, que poderiam ser realizadas este ano.

Musharraf tem vivido em Londres e Dubai desde 2008, quando o governo, liderado pelo partido de Bhutto, obrigou-o a renunciar.

Bhutto foi morta em 2007 num atentado próximo à capital Islamabad, depois de voltar ao país para disputar uma eleição. Musharraf, na época, acusou o Taleban paquistanês pelo assassinato, mas a promotoria alega que o então presidente fazia parte da conspiração.

O porta-voz de Musharraf, Fawad Chaudhry, disse que o mandado de prisão não tem valor legal. "Já contestamos esse mandado de prisão em um tribunal", disse, acrescentando que o ex-presidente anunciará esta semana a data em que voltará ao país. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.